Da Redação



"Decálogo do aperfeiçoamento"

20-01-2018

Se estamos iniciando uma nova era, onde as esperanças se renovam trazendo a brisa suave da confiança que se apresenta robusta, nada mais justo que deixarmos rapidamente de lado a desconfiança e partir resoluto para aquilo que pensamos e repensamos, em termos de mudança íntima.

Quantas coisas boas, quantos compromissos importantes estão no aguardo de mãos generosas que os abracem e comecem a desenvolver algo promissor, em benefício daqueles que precisam mais do que nós.

Não importa a sua especialidade, a sua habilidade profissional. Quantas instituições estão a espera da boa vontade de alguém que participe junto ao grupo de trabalho para promover algo que mostre resultados que vão de encontro aos interesses dos que aguardam por essas mãos e cérebros ativos.

Mas, o que fazer? – perguntará alguém que desconhece os efeitos do auxílio. A resposta é simples, pois quem sabe, na verdade, é a própria entidade que, com suas carências e necessidades irá dizer o que precisa; cada uma delas tem as suas peculiaridades. A sua colaboração é muito importante. Não é só o dinheiro que faz a diferença e ajuda, a sua participação com as mãos e boa vontade trará muita alegria a você e ao ambiente que estiver sendo ajudado.

Porém, tudo o que se relacionar com qualquer atividade extra pessoal, é necessário que sejam feitas adequações à maneira de ser, de se comportar, de agir...e lembre-se de que tudo, mas tudo mesmo, está sob nosso crivo de avaliação, pois qualquer desejo de mudança que pretendermos instalar em nossa vida, o comando e a ação partirá sempre de nós próprios. E tudo o que fizermos de boa vontade, haverá amor e, havendo amor, haverá felicidade.

Através da mediunidade de Chico Xavier temos esta mensagem oriunda de André Luiz, que nos oferece o 'Decálogo do aperfeiçoamento', como regra básica de conduta para facilitar o trânsito na Terra e livrando-se de envolvimentos prejudiciais ao avanço moral que cada busca para si. 'Decálogo do aperfeiçoamento':

“1. Diminua as próprias necessidades e aumente as suas concessões.

2. Intensifique o seu trabalho e reduza as quotas de tempo inaproveitado.

3. Eleva as idéias e reprima os impulsos.

4. Liberte o “homem do presente”, na direção de Jesus e aprisione o “homem do passado” que ainda vive em você.

5. Vigie os seus gestos, entendendo os gestos alheios.

6. Persevere no estudo nobre, reconhecendo na vida a escola sagrada de nossa ascensão para Deus.

7. Julgue a você mesmo e desculpe indistintamente.

8. Fale com humildade, ouvindo com atenção.

9. Medite realizando e ore servindo.

10. Confie no Amor do Eterno e renda culto diário às obrigações em que Ele mesmo nos situou.”


Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal